A origem dos medicamentos genéricos

A origem dos medicamentos genéricos

Os medicamentos genéricos são aqueles que são compostos pelo mesmo princípio ativo, com a mesma dose e composição farmacêutica que os originais.

Assim, os genéricos devem ser administrados da mesma forma e posologia, além de serem aplicados para a mesma indicação terapêutica que os medicamentos de referência.

Portanto, a medicação genérica apresenta a mesma segurança e eficácia do medicamento original.  E podem ser uma opção de uso para o paciente que precisa pagar menos, ou tem pouca condição de arcar com os custos do tratamento.

Mas afinal, qual a origem e a diferença do uso de medicamentos genéricos em relação aos originais? Entenda como funciona o processo!

A criação dos medicamentos genéricos

O processo de discussão sobre a criação dos medicamentos genéricos começou ainda na década de 70 no Brasil.

Isso porque, a questão dos valores e impostos estava cada vez mais em pauta.  As autoridades de saúde publicaram um decreto inicial, que foi revogado pelo Decreto 3.181 em 23/09/1999, quando foi regulamentada a Lei 9.787, em 10/02/1999.

Assim, foi na década de 90 que foram criadas as condições para implantar a utilização de medicamentos genéricos no país.

Isso porque, essa decisão foi pautada nas normas da Organização Mundial da Saúde (OMS), onde os genéricos passaram a ser regulamentados na Europa, Estados Unidos e Canadá.

Portanto, foi no ano 2000 que as farmacêuticas receberam as primeiras concessões de registro, e foi iniciada a produção dos medicamentos genéricos no Brasil.

Além disso, as empresas do setor farmacêutico receberam incentivos para realizar a importação destes medicamentos, que por vezes, ainda eram mais baratos que os remédios de referência.

O mercado dos medicamentos genéricos

O uso dos genéricos acontece no mundo todo. Isso porque, os incentivos para a competição da produção deste tipo de medicamento fomenta inovações nos produtos que já estão no mercado.

Isso porque, as farmacêuticas que detém as patentes precisam continuar vendendo os remédios de referência, já que o genérico produz a mesma eficácia.

Além disso, a patente de um medicamento só é válida por 20 anos. A partir daí, não existe mais a exclusividade para a produção da fórmula.  Mais um motivo para ele ser altamente seguro!

Com isso, o mercado de genéricos segue em constante crescimento mundial, justamente porque os medicamentos de uso comum passam a ser produzidos por diferentes marcas.

Como identificar os genéricos?

Por lei, todos os medicamentos genéricos devem ser identificados por uma tarja amarela impressa na embalagem e no produto, na qual deve estar escrito “Medicamento Genérico”.

E não é só isso, para garantir a idoneidade do produto, na embalagem deve constar a frase “Medicamento Genérico Lei n. 9.787, de 1999”.

Além disso, os medicamentos genéricos não possuem uma marca ou nome de referência. Na embalagem deve conter o nome do princípio ativo da fórmula do medicamento.

A origem dos medicamentos genéricos
Genéricos possuem a mesma composição e bioequivalência que um medicamento de marca, passa pelos mesmos critérios de aprovação da Anvisa e são tão seguros quanto. A escolha de pagar menos deve ser do consumidor.

Qualidade e eficácia dos genéricos

Os medicamentos genéricos possuem a mesma eficácia e qualidade dos medicamentos de referência. Isso porque, passam por testes de bioequivalência farmacêutica para conseguir a concessão de registro da Anvisa.

Portanto, a qualidade dos genéricos é monitorada para garantir a eficácia total.

Assim, os medicamentos genéricos são confiáveis, e são uma forma de garantir acesso a medicamentos para as classes sociais mais baixas.

Então, entendeu como surgira os medicamentos genéricos? Agora visite uma de nossas lojas e descubra o menor preço de genéricos no Rio de Janeiro.