O que é Hipertensão arterial?

O que é Hipertensão arterial?

A hipertensão arterial sistêmica (HAS), mais conhecida como pressão alta, é uma doença caracterizada pela elevação sustentada dos níveis de pressão arterial (PA).

Apesar de, na maioria das vezes, não conseguirmos saber com precisão a causa da hipertensão arterial, sabemos que muitos fatores podem ser responsáveis, como:

  • Fatores hereditários;
  • Idade;
  • Etnia
  • Obesidade;
  • Tabagismo;
  • Sedentarismo;
  • Stress;
  • Consumo de bebidas alcoólicas.

A hipertensão acomete 1 em cada 4 pessoas adultas, segundo a sociedade brasileira de hipertensão.

Assim, estima-se que no mínimo 25 % da população brasileira adulta tenha pressão alta, chegando a mais de 50% após os 60 anos.

Sintomas e causas da hipertensão

A maioria das pessoas não apresenta nenhum sintoma, e as queixas, quando presentes, são de dor de cabeça, principalmente na nuca, tonturas, zumbidos no ouvido e sangramento nasal.

Estes sintomas são mais frequentes nas crises e são causados por aumentos abruptos dos valores de pressão arterial. Já as palpitações, dor no peito, falta de ar e inchaço sugerem comprometimento cardíaco e maior gravidade da doença.

Em cerca de 10% dos casos, porém, existem alguns fatores que parecem estar diretamente relacionados com a instalação da hipertensão. Entre eles, ressaltam-se os problemas endócrinos e renais.  Além de gravidez, o uso contínuo de alguns medicamentos, como anticoncepcionais, anti-inflamatórios não-hormonais, descongestionantes nasais, antidepressivos, corticoides e moderadores de apetite.

Além destes, a exposição a algumas drogas, como cocaína, bebidas alcoólicas e cigarro, também está associada à hipertensão, sem falar da obesidade.

Diagnósticos de hipertensão

O diagnóstico se baseia em duas medidas da pressão arterial, numa situação de repouso Devem ser realizadas no consultório médico com um aparelho próprio para essa finalidade – o esfigmomanômetro.

Entretanto vários fatores psicológicos, como a agitação e o estresse, podem exercer influência sobre a pressão arterial.  Por isso, é fundamental uma avaliação médica em condições ambientais adequadas para o estabelecimento deste diagnóstico.

Tratamentos e prevenções

A princípio, mudanças na dieta com perda de peso e a prática de exercícios físicos regulares estão indicadas.  Contudo, para a maioria dos pacientes, estas medidas são consideradas praticamente obrigatórias.

No entanto, para muitos há necessidade adicional do uso de medicações anti-hipertensivas regularmente. Existem várias classes destes medicamentos que atuam de formas distintas.  Dessa forma, viabilizam ao final a diminuição do trabalho realizado pelo coração ao bombear o sangue para os vasos sanguíneos.

O tratamento deve ser monitorado regularmente pelo médico, que determina a medicação mais indicada.  Contudo, de acordo com a gravidade e fatores de risco de cada paciente. Assim como ocorre na prevenção de várias doenças cardiovasculares, a manutenção de um estilo de vida saudável ajuda a evitar o desenvolvimento da pressão alta e suas complicações.

Parar de fumar, evitar bebidas alcoólicas e um bom controle de peso são medidas úteis tanto no tratamento quanto na prevenção desta doença. Da mesma forma, a prática de exercícios regulares e dietas balanceadas, com consumo reduzido de sal, são medidas eficazes para evitar esta condição.